ESPECIALISTA EM COMMODITIES
DESDE 1989

Atendimento

33 3331 1000

CHARBEL NEWS

Geral

Parcelas do custeio são prorrogadas para novembro

09/06/2015 - 22h22

 A prorrogação de vencimentos dos produtores rurais,historicamente  gera estabilidade nos preços, esta é a expectativa.

Charbel 

 

Parcelas do custeio são prorrogadas para novembro

Os agricultores do Rio Grande do Sul poderão prorrogar as parcelas de custeio da safra passada com vencimento em julho e agosto deste ano para os meses de novembro e dezembro. A medida foi negociada entre representantes dos produtores rurais e Banco do Brasil (BB) na tentativa de aliviar a pressão de venda imediata de grãos, principalmente do arroz, que registra trajetória de queda de preços. Como não havia recursos de pré-custeio neste ano, essa foi uma maneira negociada para que o produtor pudesse exercitar sua comercialização com planejamento, sem aviltamento de preços. Segundo a Superintendência Regional do BB, o prolongamento já está sendo adotado nas agências nos casos necessários. Os juros permanecerão em 6,5% ao ano.

 

A negociação também permitirá o alongamento da parcela de 2015 da renegociação da dívida de arrozeiros em 10 anos, definida pela Resolução 4161 do Banco Central. O acordo prevê que o vencimento passe para o ano posterior ao da última parcela fixada. Outra medida para dar fôlego aos produtores é a disponibilização de R$ 200 milhões para apoio à comercialização a título de Financiamento para Estocagem de Produtos Agropecuários (FEPM). Isso dá ao produtor a possibilidade de assinar os contratos do custeio da safra 2015/2016 sem comercializar apressadamente sua produção, a qualquer preço. O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Henrique Dornelles, acredita que as medidas anunciadas podem ajudar o mercado a reagir nos próximos meses.

 

Segundo ele, há expectativa de que alguns negócios de exportação que estão em andamento se concretizarão, aliviando a pressão sobre os preços do produto. A expectativa é que o ritmo de embarque de arroz acelere à medida que a soja liberar mais espaço para o arroz, a partir de julho. A negociação dos produtores envolveu o BB e passou pelos ministérios da Fazenda e da Agricultura. Apesar de o foco principal ser o setor arrozeiro, as novas condições também estão disponíveis para produtores de outros grãos, como soja e milho. Fonte: Agência Estado.