ESPECIALISTA EM COMMODITIES
DESDE 1989

Atendimento

33 3331 1000

CHARBEL NEWS

Arroz

Preço do arroz em casca sem fôlego para reação

01/05/2017 - 19h39

No médio prazo ,o mercado do arroz em casca deverá manter no patamares atuais  de preços , por conta de uma ótima safra. A colheita esta praticamente Encerrada .

Abraço .

Charbel Felipe

Preços do arroz em casca sem fôlego para reação

No Rio Grande do Sul, a pressão baixista prossegue, diante do avanço da colheita para a etapa final e do baixo volume de negócios. Atualmente, significativa parte das indústrias de beneficiamento encontram-se abastecidas, o que reflete em arrefecimento da demanda por produto em casca. No Rio Grande do Sul, o preço médio ponderado do arroz em casca, para o produto com 58% de grãos inteiros, é de R$ 38,66 por saco de 50 Kg, com queda acumulada de 0,7% nos últimos sete dias e de 2,8% nos últimos 30 dias. Em relação ao mesmo período da safra passado, a média atual está 6,1% mais baixa, em termos nominais. No mesmo período do ano passado, a média estava em R$ 41,18 por saco de 50 Kg, FOB produtor do Rio Grande do Sul.

 

Em Santa Catarina, a safra encaminha-se para o encerramento, com mais de 90% da área colhida. Outro destaque é a boa qualidade e produtividade do produto colhido, que se beneficiou de um clima perfeito para seu desenvolvimento. Em Mato Grosso, a redução de preço do produto gaúcho e o bom abastecimento das beneficiadoras da região refletem em retração nos preços nos últimos 30 dias. A área colhida no estado está em 75% e a qualidade do grão colhido é boa. No atacado, a redução de preços ao produtor nas principais regiões orizícolas resulta em queda nas cotações na última semana.

 

A alta do dólar nos últimos dias de abril pode elevar a competitividade das exportações neste mês de maio. Na sexta-feira (28/04), o dólar chegou a bater em R$ 3,21, influenciado pela pressão compradora dos investidores para a formação da Ptax do mês, mas fechou com leve baixa de 0,22%, cotado em R$ 3,1749. Na véspera, o dólar fechou em alta de 0,28%, cotado a a R$ 3,1820 na venda – maior patamar de encerramento desde 9 de março (R$ 3,1947) – acumulando em três pregões seguidos valorização de 1,77%. No mês de abril, o dólar acumulou alta de 2,22%. Na última semana de abril, a alta acumulada foi de 2,37%. Já no ano, a moeda tem desvalorização de 2,08%.Fonte: Carlos Cogo Consultoria