ESPECIALISTA EM COMMODITIES
DESDE 1989

Atendimento

33 3331 1000

CHARBEL NEWS

Arroz

Preço do arroz ainda sem reação ao dólar

25/05/2017 - 9h06

Mercado do arroz em casca segue firme.As exportaçoes aliada aliada a melhora do cambio sao importantes para o equilibrio do negocios.

Abraço !

Charbel Felipe Silva

Preços do arroz em casca ainda sem reação ao dólar

O novo patamar do câmbio ainda não foi suficiente para provocar uma reação dos preços do arroz em casca em nível de produtor no Sul do País. O preço médio ponderado do arroz em casca FOB produtor, para produto com 58% de grãos inteiros, é de R$ 39,07 por saco de 50 Kg, acumulando uma baixa de 16,9% desde o início oficial da safra 2016/2017, em 1º de março deste ano. A média atual está, em termos nominais, 8,1% abaixo da registrada no mesmo período do ano passado (R$ 42,50 por saco de 50 Kg). Considerando a inflação do período, nos últimos 12 meses, a queda do preço pago ao produtor acumula uma retração real de 11,8%.

 

Os preços interromperam a trajetória de queda iniciada em meados de março, mas a alta das importações com queda das exportações em março e abril, além da boa safra no Rio Grande do Sul, ainda repercutem negativamente sobre os preços. Permeia os mercados uma percepção de que a atual equipe econômica pode ser mantida, seja qual for o governo, e tentar avançar com a implementação das reformas estruturais.

 

De modo geral, o dólar em patamar mais elevado deve ser favorável aos segmentos exportadores de arroz, soja e milho, mas desfavorável aos setores de café e açúcar (que reagem negativamente à desvalorizações do Real nas bolsas internacionais), além da pecuária de corte (o JBS tem 40% dos abates de bovinos no Brasil). Os preços atuais do arroz no Brasil estão próximos da paridade de exportação, o que permitirá elevar o fluxo de embarques para o mercado externo e reduzirá a atratividade das importações. Essas variáveis devem dar maior sustentação aos preços no curto e no médio prazos, com viés de reação das cotações ao longo do segundo semestre deste ano.Fonte: Carlos Cogo Consultoria e adaptado por Charbel Felipe Silva