ESPECIALISTA EM COMMODITIES
DESDE 1989

Atendimento

33 3331 1000

CHARBEL NEWS

Açucar

Açúcar : Preços cedem no mercado brasileiro

18/07/2017 - 10h30

Depois de esboçar uma alta nos preços , açucar volta ao mesmo nivel. Lembrando que já tivemos uma queda de 30% nos preços nos últimos meses, fato que leva a acreditar ser dificill mais baixa.

Abraço !

Charbel Felipe Silva

Açúcar: preços cedem no mercado brasileiro

Em São Paulo, as cotações do açúcar cristal no mercado spot registram recuo nos últimos sete dias. O Indicador CEPEA/ESALQ retoma o patamar dos R$ 62,00 por saca de 50 Kg, que não era observado desde meados de outubro de 2015, em termos nominais. No início da semana passada, usinas procuraram manter os valores pedidos, porém, o volume de comercialização só foi maior quando elas foram flexíveis em baixar os preços. Em época de safra, com a produção em crescimento, os compradores têm maior poder de negociação.

 

O Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar cristal, cor Icumsa entre 130 e 180, registra recuo de 3,63% nos últimos sete dias, cotado a R$ 61,31 por saca de 50 Kg. Segundo o relatório de acompanhamento da safra 2017/18 da União da Industria de Cana-de-Açúcar (Unica), na segunda quinzena de junho/2017, a produção de açúcar no estado de São Paulo foi de 2,026 milhões de toneladas, volume 6,75% maior em relação à mesma quinzena do ano passado. No acumulado da safra (de abril/2017 a junho/2017), a produção de açúcar em São Paulo chega a 7,622 milhões de toneladas, 1,20% acima do registrado em igual período da temporada passada.

 

O volume total de cana-de-açúcar moída pelas usinas de São Paulo, no acumulado da safra, foi 6,70% menor em relação ao mesmo período da safra passada. Porém, a maior parcela da cana-de-açúcar tem sido direcionada à produção de açúcar ao invés de etanol. Segundo o mix de produção, do total moído até agora no estado de São Paulo (de abril/2017 a junho/2017), 54,11% da cana-de-açúcar foi usada para a produção de açúcar e 45,89%, para a produção de etanol. Na Bolsa de Nova York, as cotações de açúcar demerara iniciaram a semana passada em queda , porem volta a recuperar as perdas nesse incio de semana .

 

A forte pressão se deu, principalmente, pela confirmação do aumento da taxa de importação de açúcar na Índia, passando de 40% para 50%. Além disso, o mercado continuou pressionado pela expectativa de superávit global de açúcar na próxima temporada 2017/2018, com a recuperação na produção de players importantes, como China, Índia Tailândia e União Europeia. No entanto, nos dias 13 e 14 de julho, houve recuperação dos futuros, devido à queda do dólar frente à moeda brasileira, o que, em tese, desestimula as exportações nacionais, diminuindo a oferta mundial.

 

Outra justificativa é a valorização de 1,7% da gasolina nas refinarias anunciada pela Petrobras, fato que pode aumentar a competitividade do etanol em relação à gasolina, levando as usinas a aumentarem o mix de produção a favor do biocombustível. Nos últimos sete dias, o contrato Outubro/2017 de açúcar demerara na Bolsa de Nova York registra alta de 1,06%, cotado a 14,30 centavos de dólar por libra-peso.

 

 Fonte: Cepea. Adaptado por Carlos Cogo Consultoria e Charbel Felipe Silva