ESPECIALISTA EM COMMODITIES
DESDE 1989

Atendimento

33 3331 1000

33 99977-1002

CHARBEL NEWS

Açucar

Açúcar : Preços mais firmes com postura de usinas

27/03/2018 - 9h43

Os preços do açúcar seguem mais firmes em março no mercado interno, e tudo indica que em abril não será diferente.

Charbel Felipe Silva 

Açúcar: preços mais firmes com postura de usinas

Em São Paulo, o Indicador do açúcar cristal CEPEA/ESALQ (cor Icumsa de 130 até 180) registra alta no mercado spot. Representantes de vendas das usinas estão um pouco mais firmes nos valores pedidos neste final de temporada. De maneira geral, a liquidez está estável, sendo que os volumes captados nas negociações têm sido relativamente baixos. O Indicador CEPEA/ESALQ registra alta de 4.5% nos últimos sete dias, cotado a R$ 52.30 por saca de 50 Kg. Mesmo com essa sustentação recente, os preços estão expressivamente mais baixos que os praticados no mesmo período do ano passado. Em termos reais, em março/2017, o Indicador CEPEA/ESALQ registrou a menor média da temporada 2016/2017 e, ainda assim, estava em R$ 77,63 por saca de 50 Kg (valores deflacionados pelo IGP-DI base fevereiro/2018).

 

A atual média (de 1º a 23 de março/2018), de R$ 50,97 por saca de 60 Kg, está 34,34% abaixo da do mesmo mês de 2017. A oferta de açúcar no mercado spot neste período de entressafra, que tem sido suficiente para atender à demanda relativamente restrita nos dois últimos meses, é a principal causa do menor patamar de preços neste ano. Além disso, os baixos valores internacionais do demerara também têm reduzido as cotações domésticas. Na Bolsa de Nova York, o contrato Maio/2018 iniciou março/2018 negociado na casa dos 13,00 centavos de dólar por libra-peso, mas caiu e ficou em torno de 12,00 centavos de dólar por libra-peso ao longo de quase todo o mês. Em março/2017, o primeiro vencimento era negociado entre 17,00 e 18,00 centavos de dólar por libra-peso. Especificamente nos últimos sete dias, os preços do açúcar demerara na ICE Futures se mantêm em queda, pressionados pelo superávit na produção mundial de açúcar.

 

As cotações do contrato com vencimento em maio/2018 chegaram a reagir, fechando com pequenas altas na maioria dos dias, resultado de movimentos de compras e correções técnicas. O salto nos valores do barril de petróleo, de aproximadamente 7,3% nos últimos sete dias, também não foi suficiente para impulsionar os preços do açúcar. Nos últimos sete dias, o açúcar demerara (contrato Maio/2018) registra queda de 0,63% na Bolsa de Nova York, cotado a 12,57 centavos de dólar por libra-peso.  Fonte: Cepea. Adaptado por Carlos Cogo Consultoria e Charbel Felipe Silva